PORTAL DO GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA
  
Rondônia - 04/10/2013 - Flash em Destaque
 Banco do Brasil projeta novos financiamentos agrícolas para Rondônia
Com a garantia de R$ 1 bilhão de para aplicar nos setores do agronegócio e agricultura familiar, a Superintendência do Banco do Brasil em Rondônia prevê que não faltará dinheiro para financiar o grande, o médio e o pequeno produtor rural na chamada“nova fronteira agrícola” do país. Os estudos indicam um aumento de 20% nas áreas cultivadas de soja, milho e arroz, principalmente na região do Cone Sul.
 

O superintendente regional, Raimundo Perez Ferraz Júnior, se reuniu quinta-feira (3) com o secretário de Agricultura, Pecuária e Regularização Fundiária (Seagri), Evandro Padovani, e fez uma espécie de prestação de contasdos investimentos liberados na região e que será enviada ao governador Confúcio Moura, mostrando que “nunca antes na história deste Estado foram desembolsados tantos recursos em créditos para o setor produtivo, principalmente para investimentos e aquisição de equipamentos como os incrementados pelo atual governo”.

Na safra 2012/2013, foram firmados 14.421 contratos para custeio, investimentos e comercialização, totalizando R$ 506,4 milhões. Para safra 2013/2014, que teve inicio em julho, já foram firmados 1.717 contratos e liberados R$ 55,1 milhões. Segundo o gerente de Mercado de Agronegócio, Rodrigo Nogueira da Silva, não faltará recursos no Banco do Brasil para atender o setor produtivo.



Os números impressionam e revelam o potencial do agronegócio em Rondônia. Na safra 2012/2013, foram financiadas, por exemplo, as lavouras de arroz, com a aprovação de 51 contratos peloBB, resultando na liberação de R$ 17,4 milhões. Para bovinos de corte, foram liberados R$ 169,5 milhões para atender 2.204 contratos. Bovinos de leite, com 1.469 contratos e a liberação de R$ 129,6 milhões. A produção de café com 2.400 contratos assinados e financiamentos de R$ 14,4 milhões. O cultivo de milho com 15 contratos e a liberação de R$ 1,4 milhão. O cultivo de soja contou com a aprovação de 110 contratos e a liberação de reais R$ 9,8 milhões.

Na safra 2013/2014, que teve inicio no mês de julho, o banco aprovou 265 contratos para a pecuária de corte e foram liberados R$ 15,9 milhões. Para a pecuária de leite, 254 contratos com a liberação de R$ 9,6 milhões. Cafeiultura, com 212 contratos e a liberação de R$ 1,3 milhão. Para o arroz, 9 contratos com a liberação R$ 2,5 milhões. O milho com 2 contratos e a liberação de R$ 1,6 milhão, e a soja com 25 contratos no total de R$ 2,9 milhões financiados.



Principal parceiro

Raimundo Júnior disse que o governo de Rondônia é o principal parceiro do Banco do Brasil, que tem disponíveisR$ 100 milhões de reais para aplicar na recuperação de pastagens e áreas degradadas, por meio do programa, Agricultura de Baixo Carbono (ABC), financiando calcário e transporte, até julho de 2014.

O objetivo dessa parceria é gerar empregos e renda aos pequenos e médios produtores rurais.Com a prática da agricultura de baixo carbono tanto o BB quanto o governo esperam desenvolver projetos agropecuários que reduzam as emissões de gases que são as causas do efeito estufa, bem como reduzir os índices de desmatamento, aumentar a produção no campo em bases sustentáveis, bem como ampliar as áreas de florestas cultivadas.



O interesse do Banco do Brasil, em Rondônia, é trabalhar junto aos produtores rurais reduzindo os impactos ambientais, elevando os níveis de produtividade e reduzir os riscos na carteira de crédito rural e para gerar receita para o tesouro estadual.

Armazenamento

Até o final de 2014, o Banco do Brasil, em parceria com o governo de Rondônia, prevê um investimento de R$ 464 milhões para construção de 15 mil moradias rurais. Até o final de 2013, a previsão é de financiar cerca de 5 mil casas na área rural, com investimentos de R$ 155 milhões.

O programa para construção e ampliação de armazénsgraneleiros do Banco do Brasil tem disponíveis ainda outros R$150 milhões de reais para ampliação da capacidade de armazenamento agrícola no Estado, reduzindo os problemas de logística no escoamento da produção. “Isso visa proporcionar ao produtor rural e suas cooperativas escolher o melhor momento para a comercialização de suas safras”, disse Raimundo Júnior.



Com prazo de até 15 anos para pagar, e incluindo os três de carência e juros de 3,5% ao ano, os produtores rurais, pessoas físicas ou jurídicas, cooperativas, podem financiar até 100% do valor do projeto. Os armazéns são destinados à guarda de grãos, oleaginosas, bem como, açúcar, algodão, arroz, café, feijão, milho, soja, sorgo e girassol.

Entre os dias 14 e 15 de outubro o superintendente e o gerente da área de agronegócios do Banco do Brasil com apoio da secretaria de Agricultura estarão visitando o Cone Sul do Estado. Na região, se reunirão com os produtores rurais para apresentar aos produtores as linhas de créditos e de financiamento de armazéns graneleiros.

Agência exclusiva

O superintendente Raimundo Perez Ferraz Júnior anunciou também que agência do Banco do Brasil, localizada na av. Amazonas, é credenciada para atender somente os clientes ligados ao agronegócio em Porto Velho. Ali, o gerente e funcionários foram treinados e especializados para atender os produtores rurais.



Os municípios de Ji-Paraná, Jaru, Cerejeiras e Ariquemes se destacam em liberação de financiamentos da safra 2013/2014, iniciada em julho último, com recursos de cerca de R$ 15,5 milhões já aplicados.

O secretário de Agricultura, Evandro Padovani, se colocou à disposição do Banco do Brasil para continuar mantendo as parcerias, cujos resultados positivos são visíveis. Padovani levará todas as informações sobre os investimentos e disponibilidade de recursos para o setor produtivo para discutir com o governador Confúcio Moura.



Texto: José Luiz Alves
Fotos: José Luiz Alves
Fonte: Seagri

 
Fonte: DECOM - Departamento de Comunicação Social
 
 
 
 
Governo do Estado de Rondônia
Todos os direitos reservados.
© Copyright 2007
Desenvolvimento: SEFIN/CRE/GEINF